SIMED analisa Saúde para o JTo

SIMED analisa Saúde para o JTo

A convite do Jornal do Tocantins, a presidente do SIMED-TO, Janice Painkow, analisa a área da saúde para o especial Retrospectiva 2015 do diário tocantinense. O artigo foi publicado na edição de 31/12/2015.

Geral

Cenário exige medidas decisivas em 2016

“Este cenário exigirá nos primeiros meses de 2016 medidas decisivas, a começar por uma nova gestão da área. Não será possível que o atual modelo permaneça, sob o risco de o caos só avançar”

Esequias Araújo

Janice Painkow, Presidente do SIMED-TO

A área da saúde viveu um ano de perdas em 2015. A promessa de campanha de fazer “um choque de gestão” na área com um “SOS Saúde” ficou apenas para os registros da imprensa. Nos relatórios e prontuários hospitalares o que passa para a história é a negligência com o cidadão que recorreu ao sistema público de saúde, vítima de um verdadeiro desmonte.
A extinção dos serviços de especialidades montados com grande esforço nos hospitais do interior, a velha prática de transferir para os médicos as causas e as consequências da má gestão e, claro, a recorrente falta de insumos básicos e medicamentos mínimos para um atendimento de qualidade, geraram o quadro caótico que incluiu a terceirização dos serviços de combate ao câncer em Araguaína e de leitos de UTI pediátrica em Palmas.Foi preciso mobilizar médicos, servidores e contar com a boa vontade da Justiça para os embates necessários. No primeiro, a tentativa de parcelar salário em atraso. Travamos e vencemos, na Justiça, o calote da gestão que toma o serviço médico, através do plantão extra, sem a contraprestação pecuniária. Prática que a justiça tocantinense chamou de “confisco de mão de obra”, equivalente a trabalho forçado. Cobramos o cumprimento de todas as garantias trabalhistas do servidor, entre as quais, os pagamentos de gratificações de UTI, urgência e emergência, entre outras, fixadas em lei conquistadas pelo esforço do Simed para que a garantia de pagamento, ante regulada por portarias, passasse a ser por lei. Além disso, a luta diária por leitos, medicamentos e insumos que a gestão não conseguiu fornecer a contento.Em meio a este cenário, a área da saúde chegou ao final do ano em greve, em resposta a tantos calotes e à má gestão na área. Não bastasse, fechamos o ano com contratações de serviços oftalmológicos de qualidade duvidosa e de alto custo.Este cenário exigirá nos primeiros meses de 2016 medidas decisivas, a começar por uma nova gestão da área. Não será possível que o atual modelo permaneça, sob o risco de o caos só avançar. O montante de R$ 1.668.507.270,00 destinados para a área no orçamento 2016 representam um desafio em sua execução: aplicar cada centavo na resposta concreta à demanda dos hospitais por medicamentos, insumos, equipamentos e pessoas.Urge que a gestão programe-se para a realização de um concurso que forneça médicos outros servidores que possam sanar a demanda dos Recursos Humanos. É preciso ainda retomar a Mesa de Negociação do SUS, inexplicavelmente extinta neste ano.Colocar para funcionar, efetivamente, um sistema que permita gerenciar por completo a oferta do serviço, desde a carga horária do servidor à distribuição dos medicamentos na rede como um todo. Trabalhar efetivamente para implantar e implementar as Redes de Atenção à Saúde (RAS) por meio da organização e regionalização de ações e serviços que ofereçam cuidado integral a cada paciente do SUS.Será difícil gerenciar e avançar na área se não respeitar e honrar as leis estaduais que garantem as progressões funcionais e o pagamento de direitos aos servidores da saúde.Por fim, não adianta gabar-se de gastar muito na área e continuar gastando mal. A gestão da saúde precisa ser prioritária para o governo estadual, ou o grito de “SOS” na saúde não será capaz de tirar o setor do caos”.
165 Total de acessos 1 Acessos hoje

Compartilhe

Deixe um comentário

Your email address will not be published.


Warning: get_headers(): http:// wrapper is disabled in the server configuration by allow_url_fopen=0 in /var/www/html/simedto.org.br/web/wp-content/themes/porto/includes/init.php on line 97

Warning: get_headers(): This function may only be used against URLs in /var/www/html/simedto.org.br/web/wp-content/themes/porto/includes/init.php on line 97